Salmo 40

Postado por Fifa | Marcadores: | Posted On sábado, 3 de julho de 2010 at 10:01

O SENHOR CUIDA DE MIM

 Salmo de Davi.

2. Esperei firmemente no SENHOR e ele se inclinou para mim, atendendo a minha súplica.
3. Tirou-me da fossa da morte, do barro do pântano, colocou meus pés sobre a rocha, deu segurança a meus passos.
4. Fez-me cantar um canto novo, um louvor ao nosso Deus. § Muitos vão ver e temer, e confiarão no SENHOR.
5. Feliz o homem que põe no SENHOR sua esperança e não se volta para os soberbos, nem para os que seguem a mentira.
6. Quantos prodígios fizeste, SENHOR, meu Deus, quantos projetos em nosso favor! Ninguém a ti se compara. Se eu os quisesse anunciar e proclamar, demasiados são para serem contados.
7.  Não quiseste sacrifício nem oferta, mas abriste meus ouvidos. Não pediste holocausto nem vítima pela culpa.
8. Então eu disse: “Eis que venho. No rolo do livro está escrito a meu respeito
9. que eu cumpra tua vontade. Meu Deus, é isto que desejo, tua lei está no fundo do meu coração”.
10.  Anunciei com alegria a tua justiça na grande assembléia; vê, não conservei fechada minha boca, SENHOR, tu o sabes.
11. Não ocultei tua justiça no fundo do coração, proclamei tua fidelidade e tua salvação. Não escondi tua graça e tua fidelidade à grande assembléia.
12.  SENHOR, não me recuses tua misericórdia; tua fidelidade e tua graça me protejam sempre,
13. pois me rodeiam males sem número, minhas culpas me oprimem e não posso mais ver. São mais que os cabelos da minha cabeça; meu coração desfalece.
14.  Digna-te, SENHOR, livrar-me; vem depressa, SENHOR, em meu auxílio.
15. Fiquem confusos e envergonhados os que buscam tirar-me a vida; caiam para trás e fiquem cobertos de ignomínia os que se alegram com minha ruína.
16. Fiquem mudos, cobertos de vergonha, os que zombam de mim.
17.  Exultem e se alegrem em ti todos os que te buscam; digam sempre: “O SENHOR é grande” os que desejam a tua salvação.
18. Eu porém sou pobre e infeliz; o Senhor cuida de mim. Tu és meu auxílio e meu libertador, meu Deus, não demores.

Passagem Biblica

Postado por Fifa | Marcadores: | Posted On at 09:50


Gênesis, 28

Jacó fez, então, este voto: “Se Deus estiver comigo e me proteger nesta viagem, se ele me der pão para comer e roupa para vestir,
21. e se eu voltar são e salvo para a casa de meu pai, então o SENHOR será meu Deus.
22. Esta pedra que ergui como coluna sagrada será transformada em casa de Deus, e eu te darei o dízimo de tudo o que me deres”.

 Mateus, 23
 
16. Ai de vós, guias cegos! Dizeis: ‘Se alguém jura pelo Santuário, não vale; mas se alguém jura pelo ouro do Santuário, então vale
 
Gênesis, 24
 
E jura-me pelo SENHOR, Deus do céu e da terra, que não escolherás para meu filho uma mulher entre as filhas dos cananeus, no meio dos quais eu moro
 
Atos dos Apóstolos, 21
 
Portanto, faze o que vamos dizer-te. Estão aqui quatro homens que têm uma promessa para cumprir.
 
Eclesiastes, 5
 
Se prometeste algo a Deus, não demores em cumprir. Não lhe agrada uma promessa insensata; o que tiveres prometido, porém, cumpre-o
 
I Samuel, 1
 
Ana, porém, respondeu: “Não é isso, meu senhor! Sou apenas uma mulher muito infeliz; não bebi vinho nem bebida forte, mas derramei a minha alma na presença do SENHOR

Salmo 18

Postado por Fifa | Marcadores: | Posted On at 09:09

Ao maestro do coro. Do servo do Senhor, Davi, que dirigiu ao Senhor as palavras desse cântico, no dia em que o Senhor o livrou de todos os seus inimigos e de Saul.


2. Ele disse:   Eu te amo, SENHOR, minha força,
3. SENHOR, meu rochedo, minha fortaleza, meu libertador; meu Deus, minha rocha, na qual me refugio; meu escudo e baluarte, minha poderosa salvação.
4. Invoquei o SENHOR, digno de todo louvor e fui salvo dos meus inimigos.
5.  Ondas mortais me rodearam, torrentes de perdição me atacaram,
6. envolveram-me vínculos do inferno, prenderam-me laços de morte.
7. Na minha angústia invoquei o SENHOR, ao meu Deus gritei por socorro; lá do seu templo ele ouviu minha voz, chegou meu grito aos seus ouvidos.
8.  Então a terra balançou e tremeu; vacilaram as bases dos montes, balançaram por causa da sua ira.
9. Saiu fumaça de suas narinas, um fogo devorador saiu-lhe da boca, e dela surgiram brasas.
10. Ele inclinou os céus e desceu, com uma nuvem escura a seus pés.
11. § Subiu num querubim e voou, pairando nas asas do vento.
12. Ao seu redor pôs as trevas como véu, e como tenda as águas escuras e espessas nuvens.
13. Diante do seu esplendor derramaram-se as nuvens, granizo e faíscas de fogo.
14. Do céu trovejou o SENHOR, o Altíssimo soltou sua voz; granizo e faíscas de fogo.
15. lançou suas flechas e os espalhou, multiplicou seus raios e os expulsou.
16. E apareceu o fundo do mar, descobriram-se as bases do mundo, por causa de tua ameaça, SENHOR, e do vento de teu furor.
17. Lá do alto estendeu a mão e me tomou, tirou-me das águas profundas.
18. Livrou-me de inimigos muito fortes, e dos que me odiavam porque eram mais poderosos que eu.
19. Assaltaram-me no dia da minha desgraça, mas o SENHOR foi meu apoio.
20. Conduziu-me a um lugar seguro, salvou-me porque me ama.
21. O SENHOR me tratou conforme a minha justiça, retribuiu-me segundo a pureza de minhas mãos.
22. Pois tenho seguido os caminhos do SENHOR, não me tenho afastado do meu Deus.
23. Tenho ante os olhos todas as suas leis, não afasto de mim seus preceitos.
24. Tenho sido correto com ele, atento para não pecar.
25. O SENHOR me retribuiu conforme minha justiça, segundo a pureza de minhas mãos diante de seus olhos.
26. Com quem é fiel, tu és fiel, com quem é correto, és correto;
27. és puro com quem é puro, mas astuto com quem é mau.
28. Pois tu salvas o povo humilde, mas humilhas os olhos arrogantes.
29. SENHOR, tu acendes minha lâmpada; meu Deus, ilumina minhas trevas.
30. Sim, contigo sinto-me forte para o ataque, com o meu Deus venço qualquer barreira.
31. O caminho de Deus é perfeito, a palavra do Senhor é comprovada, ela é um escudo para todos que nele buscam refúgio.
32. Pois quem é Deus senão o SENHOR? Quem é um rochedo senão o nosso Deus?
33. Foi ele que me encheu de força e aplainou minha estrada,
34. deu-me pés velozes como os das corças e me faz estar seguro nas alturas;
35. treinou minhas mãos para a guerra e meus braços para tender o arco de bronze.
36. Tu me deste teu escudo salvador, tua mão direita é meu apoio, multiplicas sobre mim tua bondade.
37. Fizeste-me avançar a largos passos, meus tornozelos não vacilaram.
38. Persegui meus inimigos e os alcancei, e não voltei atrás sem tê-los destruído;
39. esmaguei-os e não puderam reerguer-se, caíram debaixo dos meus pés.
40. De força me dotaste para o combate, dobraste diante de mim meus adversários.
41. Obrigaste meus inimigos a retirar-se, os que me odiavam, dispersaste.
42. Ninguém acudiu quando pediram socorro, gritaram ao SENHOR, mas não os atendeu.
43. Eu os calquei como a poeira do chão, pisei neles como no barro das ruas.
44. Livraste-me das conjuras do povo, como chefe das nações me colocaste. Povos que eu não conhecia são meus servos;
45. ouvem o que digo e obedecem. Os estrangeiros se inclinam diante de mim;
46. os povos estrangeiros caem exaustos, saem tremendo de seus refúgios.
47. Viva o SENHOR e bendito o meu rochedo, seja exaltado o Deus meu salvador,
48. o Deus que me concedeu a vingança e submeteu a mim os povos;
49. libertou-me de inimigos furiosos, elevou-me acima dos meus agressores e livrou-me de homens violentos.
50. Por isso te louvo, ó SENHOR, entre os povos, e louvarei com cânticos o teu nome.
51. “Ele deu a seu rei grandes vitórias, foi bondoso com Davi, seu consagrado, e com a sua descendência para sempre”.

Jeremias 18, 1-23

Postado por Fifa | Marcadores: | Posted On at 08:54


Parábola do oleiro

1. Palavra do SENHOR a Jeremias:
2. “Vem, desce até a casa do oleiro, que ali te farei ouvir a minha palavra”.
3. Desci até a casa do oleiro e lá estava ele executando um trabalho na roda.
4. O objeto que fazia de barro se estragou na mão do oleiro. Ele fez um outro objeto conforme lhe pareceu mais conveniente.
5. Foi então que veio a mim a palavra do SENHOR:
6. “Será que não posso agir convosco, casa de Israel, da forma como fez esse oleiro? — oráculo do SENHOR. Pois como o barro na mão do oleiro, assim estais vós em minha mão, casa de Israel.
7. Quando falo contra nações e reinos, arrancando, derrubando e destruindo,
8. e aquela nação volta atrás das maldades que eu havia denunciado, desisto das desgraças que havia planejado contra ela.
9. Quando falo sobre uma nação ou reino, construindo e plantando,
10. e ela pratica o que a meu ver é crime e não obedece à minha palavra, então eu desisto do bem que lhe havia prometido.
11. Agora, pois, dize aos senhores de Judá e aos cidadãos de Jerusalém: Assim diz o SENHOR: Vejam que estou modelando uma desgraça contra vós, tramando contra vós um plano. E, então, cada qual volte atrás do seu mau caminho, melhore o modo de viver e de agir”.
12. Eles, porém, responderam: “Tempo perdido! Vamos continuar seguindo nossas idéias, cada um vai agir de acordo com seu coração endurecido e perverso”.

"O meu povo me esqueceu"

13. Por isso, assim diz o SENHOR: “Perguntai entre os gentios se jamais alguém ouviu uma coisa destas: horrores tão grandes como praticou a virgem Israel.
14. Será que a neve do Líbano algum dia se afasta da rocha? A água que corre fria seca na fonte?
15. Mas o meu povo me esqueceu e foi incensar à Tolice. Tropeçam por suas estradas, traçados antigos, vão andando por trilhas, caminhos não abertos,
16. fazendo da sua terra uma solidão, objeto de caçoada sem fim. Quem por aí passa fica impressionado e sacode a cabeça.
17. Com um vento do oriente vou dispersa-los, na frente do inimigo. No dia da destruição Hei de mostrar-lhes as costas, não o rosto”.
O profeta perseguido

18. Eles disseram: “Vamos armar um plano contra Jeremias. Não nos há de faltar a instrução do sacerdote, nem o conselho do sábio, nem a palavra do profeta. Vamos massacrá-lo com a língua e deixar de dar ouvidos à sua palavra”.
19. Dá-me ouvido, ó SENHOR, ouve o que dizem meus adversários.
20. Vão pagar o bem com o mal! Cavaram um buraco para eu cair. Lembra-te de que intercedi junto de ti, para falar coisas boas em favor deles e afastar deles a tua ira.
21. Por isso, leva os filhos deles para a fome, e quanto a eles, entrega-os à espada. Fiquem suas esposas sem maridos e sem filhos. Os maridos morram trucidados, os jovens, feridos à espada na guerra.
22. De suas casas surjam gritos de socorro, pois de repente fizeste entrar os invasores, porque fizeram um buraco para me pegar, e para os meus pés armaram um laço.
23. Tu, SENHOR, bem conheces os planos deles para me matar. Não acobertes as culpas deles, não apagues de tua presença os seus pecados. Sejam derrubados na tua presença, age com eles na hora de tua ira.
Powered by beta.joggle.com